O universo veio do nada?

Nos comentários do meu último texto, um leitor perguntou: “Não te incomoda nem um pouco acreditar que o universo todo veio do nada?” 

Não, meu leitor, isso não me incomoda nem um pouco, justamente porque não “acredito” que o universo veio do nada. Eu não sei como o universo surgiu, nem “acredito” que tenha surgido do nada, pois acreditar é crer sem provas; acreditar é ter fé. Também não acredito que o universo foi criado por mágica, o que me parece algo tão absurdo quanto ter surgido do nada. Mas mesmo sem “crer” que o universo tenha surgido do nada, não dou o direito aos religiosos de caçoarem dessa hipótese, pois eles, aparentemente, querem dar a entender que a mágica divina é uma explicação mais palatável, quando não é. Não é mesmo! E, afinal de contas, no mito da Criação, diz-se que Deus criou o universo onde nada havia exceto o próprio Deus. Logo, se você admite a existência de Deus, terá que admitir, também, que ele criou o universo “do nada”. 

O religioso tem a tendência recorrente de atribuir ao ateísmo uma condição idêntica ao teísmo, só que com o sinal invertido. Eles fazem isso para tornar mais fácil a tarefa de combater as ideias ateístas, uma vez que pode-se argumentar que ateus também creem em algo, só que esse algo não é o Criador. Um líder religioso pode, então, pregar o sermão do “crença por crença, fiquemos com Deus”, e seu rebanho não se importará em manter a fé que tem. 

Então, ficamos assim: os cientistas têm suas hipóteses, os religiosos têm a fé, e eu não tenho nada. Entretanto, ninguém tem a resposta. Todos podem alegar ter respostas, mas é só uma alegação: não é a verdade. Não sabemos como tudo se deu. Mesmo se cientistas acompanhassem, hoje, o surgimento de um novo universo, não poderíamos concluir, com certeza plena (vale o pleonasmo), que o nosso teria surgido do mesmo modo.  

O que diferencia drasticamente a ciência da fé, a meu ver, é a preguiça. Os cientistas sempre trabalharam duro para tentar encontrar “a” resposta. Ela nunca veio e, talvez, nunca venha, mas eles trabalham. O religioso não quis saber disso: inventou a dele.  

As primeiras palavras da Bíblia tratam, justamente, da criação de tudo o que existe. Alguém, em algum momento, resolveu deixar escrito um dos vários e vários mitos que diversas culturas produziram ao longo dos séculos, antes da invenção da palavra escrita, e que continuaram a produzir depois dela. O que fez esse relato se juntar a outros tantos relatos e transformarem-se num único livro, que tornou-se o mais famoso do mundo, não tem o poder de fazer o mito inicial deixar de ser mito. Não importa quanto tempo passe, nem quantas pessoas acreditem nele.

 


Anúncios

63 Respostas

  1. Não, meu leitor, isso não me incomoda nem um pouco, justamente porque não “acredito” que o universo veio do nada.

    Amigo, só há duas hipóteses:
    1. Ou o universo foi feito por Alguem que existe para além do universo
    ou
    2. O universo criou-se a si próprio.

    TU não podes evitar as implicações da tua fé ateísta quando isso não te convém.

    Tu dizes que não sabes como é que o mundo surgiu, mas SABES que Deus não foi o Criador. Mas então sabes ou não sabes?

    Afirmas-te como ateu mas quando te é exigido que defendas o ateísmo racionalmente, tu moves-te para o agnosticismo.

  2. Mats escreveu:

    Amigo, só há duas hipóteses:”

    Meu nobre, veja que essa sua afirmação já é, por si, uma pressuposição e, como tal, pode muito bem estar tão longe da verdade quanto aquilo que você pretende concluir usando-a como premissa. O mais correto, racionalmente falando, seria dizer: “Eu só consigo enxergar essas duas hipóteses.”

    Mas, por favor, aguarde a resposta a esse seu questionamento num próximo post. Vou ficar bastante satisfeito em te explicar.

  3. Mats, não tenho bases teóricas em Física suficientes para entender bem mesmo do que se trata a teoria do Big Bang (ou seja, só sei bem por cima =P), mas se é isso que vocês religiosos chamam de “surgir do nada”, acho que vocês entendem menos que eu.

    As suas duas hipóteses indicam que para você o único modo de um universo surgir é sendo criado, seja por algo (no caso, si próprio) ou alguém (uma entidade, seu Deus).

    Na verdade a qualquer momento alguém pode vir com uma terceira idéia mais plausível que as anteriores, e é disso que é feita a ciência. Se quiser um exemplo de como as teorias são sujeitas a mutações, veja como – e por que – sofreu alterações ao longo do tempo o modelo estrutural do átomo.

  4. Você está errado quando diz que existe preguiça na religião. Houve durante toda a história da Igreja Católica incansáveis debates sobre a própria religião. Prova disso são os inúmeros concílios realizados. Debatia-se durante anos, ou até séculos, algum tema específico, até que era necessário se tormar alguma decisão.

    Vale lembrar também que a teoria do Big Bang foi proposta inicialmente por um padre católico: Georges Lemaitre. Se a religião o tivesse tornado preguiçoso, ele não teria motivos para investigar a razão do Universo e as leis naturais.
    Foi o cristianismo que proporcionou praticamente todas as bases filosóficas e racionais para o surgimento do método científico moderno.

  5. Philippe,
    Fato é que os religiosos não precisam ser acomodados, mas a religião continua sendo uma acomodação para as perguntas mais difíceis.
    Prova disso é a chamada “Idade das Trevas”

  6. Philippe, Philippe… Darwing mesmo ambicionava a carreira religiosa, pois achava que o tempo ocioso e a vida pacata como pároco lhe proporcionaria as condições ideais para se entregar aos estudos e à sua pesquisa. Não duvido que tenha acontecido o mesmo com Mendel, Lemaitre e outros mais.

    E você acha que um concílio é trabalho científico? Não, meu nobre, não é.

  7. Oi Larissa. A “Idade das Trevas” não foi tão das trevas assim. Os historiadores mais recentes nem utilizam mais este termo. Portanto, não aceito isto como prova.

    E Barros,
    claro que não é trabalho científico, e eu nem disse isso. O que eu quero dizer é que não há acomodação (ou preguiça, como você disse) no espírito de alguém por causa da religião. Mesmo quando o motivo de debate é a própria religião. E a Igreja nem quer isto também.

  8. Outra coisa que percebi agora Larissa,
    a questão mais difícil que a religião responde é qual o “sentido da vida, do universo e tudo mais” (by Douglas Adams). Em nenhum outro lugar senão na religião é que se entra esta reposta.
    A ciência não tem como objetivo responder isto.

  9. Na verdade a qualquer momento alguém pode vir com uma terceira idéia mais plausível que as anteriores

    Ou então uma das outras duas é a verdadeira resposta. Vocês ateus não gostam da dicotomia porque vos deixa com uma crença ilógica (“Tudo surgiu do nada”).

    , e é disso que é feita a ciência. Se quiser um exemplo de como as teorias são sujeitas a mutações, veja como – e por que – sofreu alterações ao longo do tempo o modelo estrutural do átomo.

    Totalmente irrelevante, uma vez que ninguém aqui estava a atacar a ciência,

  10. Philippe escreveu:

    a questão mais difícil que a religião responde é qual o “sentido da vida, do universo e tudo mais” (by Douglas Adams).”

    É. Responder ela responde. Do mesmo jeito que alguém a quem você pergunte “Quanto é 2 mais 2?” te reponde “Dezenove”.

    Uma coisa é dar uma resposta. Outra, é dar a resposta certa.

    O que as principais religiões monoteístas pregam como sendo “o sentido” da vida para mim não cola: passar toda essa vida me preparando para uma próxima, da qual não há a menor evidência de que realmente exista.

  11. da qual não há a menor evidência de que realmente exista.

    Não há a menor evidência, ou as evidências que te foram oferecidas não são convincentes?

  12. Claro que não há evidência nenhuma de uma existência pós vida. É uma questão unicamente de fé.
    Não sei se vc sabia, mas o judaísmo antigo, na época da escrita do Eclesiastes, não acreditava na vida depois da morte. Todos iam pro Hades, pra baixo da terra: voltavam a não existência. Mesmo assim os judeus se mostravam tementes e seguidores da Lei.
    Provavelmente vc também mostraria desprezo a uma religião assim.

  13. A existência de vida depois da morte pode ser provada apenas pal fé…O que é fé? A ignorância institucionalizada. entende-se assim: “acredito nisso, mesmo sem provar, mesmo sem fazer sentido, mesmo sem nenhum ser vivenciar, afinal tenho fé..1”

    Nenhuma religão e nenhum deus parece possível, mas se algum dia aparecer alguma evidência, até eu acreditaria…..só que pra nós, ateus não vale a fé..

    A fé serve apenas para os crentes…não prova nada!

  14. Philippe, acho que você não lei o meu texto “O andar de baixo”. Sugiro que leia:

    https://deusilusao.wordpress.com/2009/03/11/o-andar-de-baixo/

    O Hades era um local que abrigava, ao mesmo tempo, os equivalentes do Céu e Inferno cristãos; não era o retorno à não existência como você mencionou. Eles acreditavam em vida após a morte sim, com sua punição ou recompensa, exatamente como os cristãos.

    E por que as pessoas acreditavam no Hades? Porque havia estórias que eram transmitidas de geração para geração e povoavam a mente das pessoas. De onde surgiram essas estórias? Alguém que estava no Hades subiu de volta à superfície e deu seu testemunho? Algum ser vivo desceu ao Hades e voltou para dar suas impressões? Não. Alguém, simplesmente, criou um mito que dava conta do que acontecia com uma pessoa quando morria. Do mesmo modo que eram criados mitos para explicar tudo que não se entendia na época, desde os raios e trovões até terremotos e secas.

    Mitologia.

    A fé cristã apenas copiou praticamente tudo.

  15. Na verdade meu refiro ao Sheol (muitas vezes traduzido com Hades) que é o estado de não existência da tradição israelense antiga. Não há nada em comum ao Hades da mitologia grega.

    “A religião de Israel, ao tempo da redação do Eclesiastes, não concebia uma vida após a morte nem a ressurreição dos mortos. Assim se entendem muitas das passagens como esta: ‘Por isso louvei a alegria, porque não há nada de melhor para o homem, debaixo do sol, do que comer, beber e se divertir; possa isto acompanhá-lo no seu trabalho, ao longo dos dias que Deus lhe outorgar debaixo do sol’ (8,15), que poderia ser interpretada no sentido do carpe diem se não se equilibrasse com outras passagens deste tipo: ‘Em conclusão: tudo bem entendido, teme a Deus e observa seus preceitos: é este o dever de todo homem’ (12,13). Na verdade, a doutrina do Sheol, como observa C.S. Lewis, exigia do israelita uma retidão e honestidade praticamente sem paralelos na história, pois não esperava uma recompensa transcendente.”

    (Trecho da matéria “Um punhado de pó” da revista D&C no. 1).

    Que me diz de uma tradição assim? Aproveita sua vida, mas teme a Deus (equivalente a ‘seja moralmente digno’). Mesmo assim, não terá recompensa nenhuma.

    A idéia de vida após a morte veio depois. Portanto, esta idéia de recompensa e negação da morte não está na origem da tradição judaico-cristã.

  16. Aproveita sua vida, mas teme a Deus (equivalente a ’seja moralmente digno’). “

    Temer ao seu Deus equivale a ser moralmente digno??? Eu não temo ao seu Deus, nem a deus algum, e minha moral é perfeitamente condizente com a sociedade em que vivo. Assim como eu, há milhões de pessoas, ao redor do mundo, que não precisam temer a uma divindade para levarem uma vida digna, honesta, produtiva e feliz.

  17. Outra vez, não fui isto que eu disse.
    Eu fui ateu durante muito tempo. Também não acredito que isto seja uma bi-condicional. Não é necessário crer em Deus para ser moralmente digno. Mas o contrario é verdadeiro. Quem teme o Deus cristão e segue sua religião é moralmente digno.

  18. Até não serem descobertas falcatruas e fugas ao fisco. Isso existe eu eu conheço casos. Roubos, falcatruas, fugas, omissões graves, projectos de lares e igrejas não credenciados, lavagens de dinheiro, etc, etc… Existe em Portugal… e em todo o mundo… pff! moralmente quê??

  19. Quem teme o Deus cristão e segue sua religião é moralmente digno.”

    Esse seu argumento é totalmente destroçado pelo que o Dário escreveu acima. E veja o contrassenso: quem, teoricamente, deveria ser mais moralmente digno do que padres, que seriam, também teoricamente, os representantes de Deus, seus pregadores, etc, e que deveriam temer mais a Deus do que todos, pois o deveriam conhecer mais de perto? E não são eles praticantes de pedofilia, de estupro de crianças? Pelo menos nos Estados Unidos e no Brasil isso é mais que comum.

  20. Quem mente, estupra, comete crimes contra a natureza humana por ação ou por omissão é um pecador e por conseqüência não segue sua religião determina.
    Repito o que eu disse que: quem teme o Deus cristão e segue sua religião é moralmente digno.
    Não é pq alguém está dentro da Igreja que está livre de seguir seus mandamentos.
    Mantenho o que disse.

  21. Bom, então a Igreja Católica deve estar repleta de padres que não temem a Deus. Repleta. E são eles que estão “guiando” o povo para Deus… São eles que estão ensinando “a palavra”, ensinando a moral… São eles que estão tomando conta das casas de Deus ao redor do mundo… Acho que Deus não deveria permitir isso. Se permite é porque não se importa; ou porque não existe.

  22. Barros,

    Alguém que estava no Hades subiu de volta à superfície e deu seu testemunho?

    Por acaso, já. Queres vêr o seu testemunho?
    Faz uma pesquisa na YuoTube por “Bill Weise” e vê o seu testemunho.

    Claro que tu vais rejeitar isso tudo porque para ti, testemunho pessoal que confirme a Bíblia não conta.

  23. O Universo veio do NADA-JOCAXIANO:

    “O “Nada Jocaxiano” (NJ) é o Nada absoluto desprovido não apenas de elementos físicos e de leis físicas mas também de regras de quaisquer tipos.[1]

    O “Nada Jocaxiano” é diferente do Nada que normalmente se pensa. O nada que normalmente se pensa, e que podemos chamar de “Nada Trivial”, para distingui-lo do NJ, é algo no qual dele nada pode acontecer, ou seja, “o Nada Trivial” segue uma regra :”Nada pode acontecer”. Dessa forma o “Nada Trivial”, o nada no qual as pessoas pensam ao falar num “nada”, não é o nada mais simples possível, ele possui uma regra. ”

    Texto Completo em:
    http://www.genismo.com/logicatexto23.htm

  24. minha gata morreu.aff-pra que existir vida?por que?
    *Comecei sobre a eutanasia .relacionada a minha gata que estava doente .
    ela morreu ontem .e hoje eu interrei ela…
    agora vejamos.
    nesse caos da existencia do universo
    para que e por que tenha que vir a existir vida capaz de ter sentimentos .e afeição ,a outro ser .
    por que teve que existir bem os ingredientes necessarios para que possa vir existir vida capaz de amar ,e vida que queira continuar vivendo …
    teve que bem consequentemente ocorrer bem as ações que seres vivos possam existir.
    por que é pra que isso .
    não seria mais logico nada veses nada existir ?
    dai nada se criou ,nada nunca existiu….

    essa resposta não existe .
    ou vcs acham que é algo alem da capacidade de raciocinio de um ser-vivo?
    Mas para que e porquê,algo tenha que existir ou vir a existir?
    Não há sentido na existência de algo existir?
    Seríamos mesmo apenas o fruto de coincidência da existência de igredientes que por acaso surgiu consequências que necessitamos para existir nesse universo?

  25. Na verdade a gata esta apenas meio morta, ela existe em inumeras realidades paralelas a nossa volta, e invisiveis a menos que vc deixe de viver nessa e passe pra alguma delas, que se torna visivel..
    em muitas delas a gata esta viva, vc é que passou de uma realidade em que ela estava viva para uma em que ela estava morta porque deixou de se importar com ela, o que nos leva a concluir que a orientação de nossa trajetoria no multiverso, atraves de infinitas realidades paralelas, é controlada pelos anseios mais profundos do nosso coração.
    controle as suas simpatias e antipatias, e controlará a evolução de sua linha temporal!

  26. a gata existiu como resultado do acaso…e depois veio o fim…..enquanto viva, tinha desejo, importância…na morte, assim como todos nós, cessaram todas as emoções, desejos…..e nunca mais existirá outro ser igual……..a vida é implacavelmente efêmera, trasitória……..não acredito em universos paralelos onde porventura ela exista

  27. Saracura:
    Voce nao acredita, é uma coisa.

    Se existir ,há de se descobrir quem sabes?

    Mas eu creio assim!!

  28. Sim Marina…….

    Quero dizer que esta verdade vale apenas pra pessoa que acredita..assim mesmo é a invenção de deus….ele serve, foi criado, existe apenas na mente de quem acredita……ele não interfere na vida humana dos ateus, não mexe no universo, nas leis físicas, naturais…….não faz nada….não tem força,,..não tem medida…não tem peso…não existe…

    entretanto, a pessoa diz pela fé que ele existe…que a cura não foi pelo médico, mas pelo deus…….esta é o tipo de verdade criada……mas tudo bem..

    eu não critico a verdade criada quando ele se atém ao próprio ser que criou……eu só não aceito, esta verdade ser universal, mas incutida a qualquer custo, nas pobres mentes despreparadas…..exemplo uma criança……

    Eu acho legal que vc creia assim……podemos ser amigos mesmo assim……não concordo é que por eu pensar diferente tenho que ser afastado…..tenho que ser inimigo..

    isto ocorre com os crentes…..tentam criar um “apartheid” . até pela amizade….só porque não tenho a mesma crença não posso nem falar sobre política, ou futebol com a mesma….rsrsrs

    de resto, tudo certo…….foi bom enquanto durou a vida da gata…..agora é pensar na vida, depois..

  29. “Quem teme o Deus cristão e segue sua religião é moralmente digno.”

    TODO CRIMINOSO É MORALMENTE DIGNO ATÉ COMETER UM CRIME OU O PRÓXIMO, LOGO APÓS O ARREPENDIMENTO.

    A MORALIDADE CRISTÃ É MEIO ESTRANHA.

    As prisões do Brasil estão cheias de crentes arrependidos. Pois o deus cristão pedoa qualquer crime, basta arrepender-se.

    Um deus que precisa ser temido é um falastrão, um fanfarrão.

  30. E os cristãos não servem como exemplo da nada bom, tanto que criaram mais de 1000 seitas cristãs, cada uma colocando palavras diferentes na boca do deusinho cristão.

    Ou esse deusinho de araque não conseguiu ser claro ou os cristãos são o supra sumo da baixa cultura mundial.

  31. “Quem teme o Deus cristão e segue sua religião é moralmente digno.”

    Mas vai para o inferno, pois os covardes e medrosos vão para o inferno.

  32. Estamos todos no mesmo barco e vamos todos pro inferno, já era! XD

    Pelo menos eu vou ter aproveitado a minha vida =P

  33. F.A.Q. do “Nada Jocaxiano”

    (Perguntas mais freqüentes sobre o Nada-Jocaxiano “NJ”)

    Jocax, Fev/2009

    1- O que é o Nada-Jocaxiano (NJ)?

    R: O NJ, diferente do inexistente, é algo (ser) que apresenta as seguintes propriedades:

    P1-Não existem elementos físicos de nenhum tipo (matéria, espaço, ou energia).

    P2-Não existem leis de nenhum tipo.

    2- O NJ existe?

    R: Podemos dizer que o NJ existe se existir algo que tenha as propriedades de um NJ (P1 e P2 acima). Atualmente o NJ não existe mais, mas pode ter existido num passado remoto, antes do “Big-Bang”.

    3-O NJ é “ser”?

    R: Sim. Uma vez que ele possui propriedades ele deveria existir para ser receptor destas propriedades.

    4-A característica do “Nada-Jocaxiano” não possuir regras ou leis não seria, ela própria, uma regra?

    R: Não. Uma regra estabelece alguma forma de restrição. Por exemplo: “meu carro precisa ser vermelho” é uma regra, mas “meu carro é vermelho” não é uma regra e sim um ESTADO do carro. Eventualmente o carro pode ser pintado de azul e mudar de cor. Estabelecer que o estado da natureza no qual não existam regras é definido como sendo o “Nada-Jocaxiano” também não é uma regra a ser seguida e sim um possível estado da natureza, que poderia (ou não) mudar.

    5-Dizer que tudo pode acontecer não seria uma regra? Uma imposição ao “Nada-Jocaxiano”?

    R: Seria. Mas se observarmos ao texto eu friso que do nada Jocaxiano tudo pode OU NÃO acontecer. E isso não é uma regra, mas sim uma TAUTOLOGIA lógica-, uma verdade absoluta em quaisquer circunstâncias ou cenários. Isso implica que o “Nada-Jocaxiano”, como tudo, segue uma tautologia (uma verdade absoluta) e não uma regra.

    6-O “Nada-Jocaxiano” não possui elementos físicos nem leis, mas ele possui alguma POTÊNCIA, ou não?

    R: Se chamarmos de “potência” como sendo a possibilidade de se transformar, a resposta é sim. Porém, devemos lembrar que possibilidade não é certeza, e eventualmente ele jamais se transformaria ou geraria alguma ou qualquer outra coisa.

    7-O Nada-Trivial, onde nada pode acontecer, não seria algo mais provável que o “NJ”?

    R: Não! O nada que as pessoas normalmente imaginam, e que eu chamei de “nada trivial” (NT), é infinitamente mais improvável de acontecer como origem do universo do que o NJ. Isso porque o “nada-trivial” possuiria, embutidas nele, INFINITAS regras a serem seguidas, por exemplo: ele não poderia gerar campos, não poderia gerar espaço, não pode gerar uma cadeira; não pode gerar leis físicas; ele não pode gerar deus; ele não pode gerar um Big-Bang; ele não pode gerar vida; ele não pode gerar partículas, etc.

    8-O “Nada Inexistente” não é mais “puro” que o NJ?

    R: O “Nada Inexistente” (NI) é um “nada” onde nada existe, nem ele mesmo!

    Ele é, portanto, intrinsecamente contraditório, pois se ele mesmo não existe, ele não poderia ter propriedades, mas se ele possui a propriedade de não conter nada, ele deveria existir. Assim, se o “NI” existe, ele não pode ser inexistente, e se ele for inexistente, ele não pode existir. É algo contraditório, e por isso não foi utilizado como gerador do cosmo.

    9- Qual a diferença de “Universo” e “Cosmo”?

    R: Universo é o conjunto de tudo o que existe. Assim cada possível “Universo bolha” ou “Multi-Universo” são, na verdade, partes do mesmo Universo. Por isso é mais correto denominar cada “Universo bolha” de “Cosmo-bolha”. Um Cosmo, portanto, seria uma região do universo regido por suas próprias leis físicas, isolado e sem interconexão com outros cosmos.

    10-O NJ é o Universo ou deu origem ao Universo?

    R: A rigor, pela definição de Universo, como sendo o conjunto de tudo o que existe, o NJ seria o próprio universo. Seria o universo em seu estado “minimal”, o estado mais simples possível. Portanto, o NJ não poderia originar o universo, pois ele seria o próprio universo, onde o tempo não existiria. Posteriormente ele poderia ter aleatorizado um ou mais cosmos.

    11- O NJ não estaria limitado à nossa lógica? Ele poderia ser ilógico?

    R: Devemos perceber que existem dois conceitos sobre o Nada Jocaxiano que estão inter-relacionados: O Objeto Nada-Jocaxiano (NJ-Objeto), e a Teoria sobre este NJ-Objeto (NJ-Teoria). O NJ-Objeto é definido como algo que possui as propriedades referentes ao NJ (P1 e P2) descrito acima. A teoria sobre o NJ (NJ-Teoria) é uma teoria baseada na lógica, que explica como o NJ-Objeto poderia aleatorizar nosso cosmo. Pode-se argumentar que se o NJ-Objeto não possui leis então também não precisaria obedecer à lógica, e isso, de fato, é correto. Entretanto, ao analisarmos o NJ-Objeto com a nossa lógica clássica, não estaremos incluindo novas possibilidades ao NJ-Objeto, mas, sim o oposto: poderemos estar, na verdade, limitando as possibilidades do NJ-Objeto, o que significa, talvez, que ele possa ser ainda mais “toti-potente” do que possamos imaginar.

    12- O NJ, ao aleatorizar algo, deixa de ser um NJ, e perderia assim a capacidade de aleatorização?

    R: As aleatorizações do NJ são chamadas de “esquizo-criações”. O Universo estava na forma de um NJ. A primeira esquizo-criação do NJ faz com que o NJ deixe de ser um NJ, pois agora o universo tem, ao menos, um elemento: sua primeira esquizo-criação. Se esta primeira esquizo-criação não for uma lei que o impeça de aleatorizar outras coisas, como por exemplo, uma lei que o torne um “nada-trivial”, então esta esquizo-criação, que é o NJ evoluído (NJE), poderia, eventualmente, continuar gerando suas esquizo-criações. Apenas a geração de leis que restrinjam a própria geração de leis poderia impedir novas esquizo-criações.

    13- Poderíamos isolar uma porção do cosmo e torná-lo um NJ?

    R: Dificilmente. Uma vez que o nosso cosmo já está “banhado” por leis físicas, para criarmos um NJ teríamos que retirar todas as leis físicas daquela região. Ninguém ainda sabe se isso é possível e muito menos como isto poderia ser feito.

    14-Para haver seleção natural de leis, as leis não teriam que ser ordenadas temporalmente, isto é, o tempo já não teria que ser pré-requisito?

    R: Se for necessário que haja alguma “lei do tempo” ou o próprio “tempo” para que possamos ordenar as leis que são aleatorizadas pelo NJ então isso não seria um grande problema. Bastaria “esperar” que uma das “esquizo-criações” fosse uma lei temporal. A partir de então as novas leis estariam ordenadas e sofreriam “seleção natural”.

    15-Quais as evidências que o nosso cosmo veio de um NJ?

    R: As evidências seriam um universo lógico, onde não haveria contradições físicas entre os elementos deste universo.

    Referências:

    [1] O Nada Jocaxiano

    http://stoa.usp.br/jocax/files/-1/6865/O+Nada-Jocaxiano.ht

    Palavras-chave: Ciencia Expandida, Filosofia, Física, Nada, Nada Jocaxiano, Origem do Universo

  34. Cara por isto que eu gosto deste site ! aqui aprende-se coisas que eu nunca ouvi falar.
    Andei lendo em alguns emails que me mandaram o seguinte:
    No futuro com avanço da nano tecnologia as pessoas vão colocar neuro implantes no cérebro e quem não tiver não vai conseguir acompanhar as idéias dos que tiverem.
    Seu eu pudesse ja implantaria ja.

    Sr.Jocax da pro Sr. fazer uma síntese do que o Sr postou ai em cima; para meu cérebro com processador 486?

  35. ‘Quem teme o Deus cristão e segue sua religião é moralmente digno.’

    Bom, sobre esta afirmação TOTALMENTE falsa e hipócrita eu tenho que comentar. Você destacou que se for seguida de forma integral e correta, o cristianismo faz as pessoas melhores, não é? Não acho , Phillippe, que você conheça as origens da sua religião e nem as orientações do seu próprio livro sagrado. Uma pessoa é moralmente “digna” se tenta matar seu próprio filho para provar obediência à vozes em sua cabeça, como fez Abraão? Uma pessoa é moralmente “digna” se, como Moisés, masacra povos inteiros e deixa só as menininhas virgens para os homens se divertirem? Mas, tudo bem, vamos falar do seu profeta Jesus. Um homem que chama a própria mãe(virgem) de “mulher”, apenas, não merece respeito. Até para a época, um profeta que dissesse que era filho de deus e que começasse a perdoar os pecados de todo mundo seria considerado louco, como realmente foi em alguns evangelhos que, para variar, não estão na bíblia. E também não posso deixar de lembrar: Os milagres de Jesus. Bom, eu não sou como ele que “perdoa todo mundo”, mas eu o perdôo pelos milagres. Primeiro porque provavelmente não aconteceram e segundo porque se uma pessoa tivesse esse poder, teria seus lapsos de egocentrismo, e faria como ele: andaria pelas águas só para massagear o ego, curaria um cego, mas não a cegueira (afinal, depois disso não existiram mais cegos curar e demonstrar o poder) e… curaria um amputado? Longe de ser professor moral, Jesus nos indica o quão hipócritas devemos ser ao perdoar (quem é você para perdoar? Perfeito?) , ao inventar estórias e ao transformar um livro “assustador”(peguei leve…) como a bíblia em um guia moral.

  36. Desculpem por dar minha opinião em um post já antigo, mas sou “novo” aqui…
    Acredito que o que pode estar mais próximo da “verdade” (se é que existe a “verdade”) são as teorias cosmológicas atualmente aceitas. Não se trata apenas de uma “fé cega” na ciência, mas tão somente acreditar no Método Científico (Karl Popper) que estabelece os melhores parâmetros (do ponto de vista lógico) para se estudar, pesquisar, compreender e/ou refutar a “verdade”.
    Usando o Método Científico os pesquisadores (cientistas, estudiosos, seja o nome que se dê), estudam a Natureza e procuram identificar comportamentos que possam ter uma explicação plausível e lógica. Assim é com a Cosmologia, que antes era apenas objeto de debate filosófico e passou a ser objeto de estudo científico, baseada na Astronomia e na Física modernas. Atraves desse estudo surgem diversas teorias que evoluíram (essa “evolução” é parte do Método) até que foi estabelecido o “modelo” (ou sistema) cosmológico atualmente aceito – chamado jocosamente de Big Bang.
    Desnecessário dizer que os fundamentos são físico-matemáticos e que sua demonstração matemática parte de teorias físicas estabelecidas e comprovadas experimentalmente. Assim, qualquer ser humano pode constatar por sí mesmo a veracidade das afirmações (desde que tenha conhecimento para tal, claro).
    Por isso, não se trata de “fé cega” a Ciência, mas sim em uma teoria que procura explicar como surgiu o Universo, à luz dos conhecimentos científicos atuais. Claro que isso não significa que essa teoria não venha a ser abandonada e substituída por outra que se aproxime mais da “verdade”, afinal essa evolução faz parte do Método Científico.
    Bem simplificadamente, a teoria do Big Bang afirma que o Universo surgiu de uma “singularidade” (um “ponto” cuja existência apenas pode ser comprovada matemáticamente). A partir daí teve origem a energia, o espaço, o tempo, o Universo em expansão no qual vivemos hoje! Baseando-se na Física Quântica, alguns teóricos (gnósticos modernos) acreditam que a instabilidade dessa singularidade (“explosão”) deve-se a um observador externo, uma vez que essa singularidade seria um “ponto quântico”, descrito por uma função de onda. Assim a “grande explosão” seria o colapso dessa função de onda decorrente da ação de um observador (principio da incerteza da Física Quântica). Se é que se pode falar assim, antes do Big Bang nada pode ser afirmado!
    Desde que aceitemos o Método Certifico como verdadeiro, a ciência tem maior probabilidade de estar certa do que qualquer “ensinamento” que se baseie na fé.
    Por isso não me incomoda creditar que o Universo originou-se em uma “singularidade” (não é o “nada”) e a partir desse “ponto” tudo veio a ser criado (energia, massa, espaço, tempo).

    Em tempo, não acredito que essa singularidade seja um “ponto quântico”, dentre outras coisas por ser uma hipótese desnecessária à teoria do Big Bang, além de não ter comprovação (matemática, claro).
    Muito simplificadamente (pra variar… rsrsrs), se tº é o início do tempo (onde seria válido pensar em uma função de onda quântica) a singularidade está em t=0 (zero).
    Como o tempo teve origem na “grande explosão”, a singularidade não poderia se esse “ponto quântico”.
    Desculpem se fui muito “chato”….

  37. Chico,

    Boa explicação. Teorias existem e tentam demonstrar a realidade do universo.

    Imagino que o “universo” sempre existiu e sempre existirá no seu método de “sanfona”, explode, encolhe….

    Então o universo será “deus”, mas sem a obrigação de se preocupar com meus sentimentos ou minha vida sexual, como crentes acreditam. A aleatoriedade está presente no nosso dia-a-dia, na mecânica Quântica e nos “acasos” da vida, logo o “deus” universo não está nem aí….

    concluindo, porque eu iria rezar pra ele? contra o acaso, nada adianta….?

  38. Saracura
    O Universo “deus” (bem próximo da doutrina Panteísta) implica que nós também somos “deus” (o que não é má idéia de todo… rsrsrs). A idéia de um Universo “sanfona” está sendo descartada, basicamente porque a Gravidade não teria efeito face à acelaração da expansão do Universo (decorrente da Energia Escura)… Mas são teorias ainda não totalmente verificáveis. De todo modo, nada indica que os prováveis “futuros Universos” tenham o mesmo comportamento que este que vivemos!
    Mas, como deve ter reparado, em nenhum momento existe qualquer referência a DEUS e vale a “navalha de Ockham”… Deus é uma hipótese desnecessária!

  39. Chico,

    É verdade que existem muitas teorias. Sobre o universo “sanfona”, existe uma certa dúvida sobre o tamanho do universo, e presença da massa “escura”, buraco negros, assim como se comportaria se fosse maior que isso…de qualquer forma creio que poderia surgir outro universo ou diferente do atual….

    sobre deus, eu sei que nãoe stá presente em nenhuma equação ou teoria por se tratar de alucinaçãoes humanas, desnecessárias….

    Um deus qualquer, não se mostra, não se prova, não tem força, melhor dizer: não existe!

  40. Deus é uma hipótese desnecessária!²

    Daria um bom titulo pra uma série
    Deus, a hipótese desnecessária! XD

  41. […] leitor argumentou nos comentários do meu texto “O universo veio do nada?” que só há estas duas hipóteses: ou […]

  42. Opiniões e opiniões sobre um começo que cada um se baseia em um fato ou historia.
    A bíblia conta a historia da vida humana, não do universo e o nada.
    Neste nada alguém se criou ou nunca houve começo para isso.
    Essa historia do começo de universo esta alem da lógica.

  43. Uma coisa é a ciência não ter resposta ou explicação para um enigma hoje, mas continua pesquisando para ter amanhã. Outra coisa é a religião ter a resposta e a certeza para o enigma baseada em fé, ou seja, isto é verdade porque foi Deus quem fez. É apenas uma afirmação sem nenhum embasamento. O Universo tem treze e meio bilhões de anos, portanto algo infinito diante de nossos miséros tempos de vivência e alem disso, tem todas as propriedades, tempo, espaço, energia matéria e outras substâncias que nem ainda conhecemos necessárias para existência de tudo e de transformar tudo em tudo o mais que quizer. Deus quando muito pode ser uma hipótese de criador, mas aí ficaria a pergunta que não cala nunca “e quem criou Deus”?

  44. Não somos pequenos demais para darmos certeza de que existe um Deus criador ou de que o Universo veio do “zero”? Em algum momento se teve o começo, inclusive uma figura criadora?
    Mesmo sem acreditar em um Deus criador eu não posso afirmar que ele não exista, como não posso afirmar que o nosso Universo não está dentro de outro Universo, ou que o Universo é uma ilusão.
    A ciência trabalha duro e já nos deu várias provas, pelo menos no mundo físico, que é o mundo que vivemos, já a existência de que existe de fato um mundo espiritual ainda não temos, portanto fica a fé, eu fico com a ciência. O ser humano se acha muito e odeia a hipótese de ter um fim, o que a meu ver não é ruim, é bom acreditar nisso. Acredito no começo e no fim.

  45. Então, ficamos assim: os cientistas têm suas hipóteses, os religiosos têm a fé, e eu não tenho nada. Entretanto, ninguém tem a resposta. Todos podem alegar ter respostas, mas é só uma alegação: não é a verdade.

    Sábias suas palavras , concordo com vc. Se todos pensa-sem assim como vc nao existiria orgulhosos preconceituosos e imbecis nesse mundo. Olhando o Universo, e do nosso ponto de vista da terra. Vemos a verdade, não somos nada.

  46. “Então, ficamos assim: os cientistas têm suas hipóteses, os religiosos têm a fé, e eu não tenho nada. Entretanto, ninguém tem a resposta. Todos podem alegar ter respostas, mas é só uma alegação: não é a verdade”.

    Sábias suas palavras , concordo com vc. Se todos pensa-sem assim como vc nao existiria orgulhosos preconceituosos e imbecis nesse mundo. Olhando o Universo, e do nosso ponto de vista da terra. Vemos a verdade, não somos nada.

  47. Essa discussão sobre o NADA fica para os físicos de altas energia no contexto que estudado como Estrutura do Vácuo (?). Existe a consideração do Vácuo Absoluto, e a do Vácuo por Estimativa (traduzido-se). Na prática uma região estimada como vácuo quase absoluto tem uns cacetões de cacetões de moléculas (é o conseguido em laboratórios de pesquisas avançadas). Mas os teóricos e logicistas (e demais cientistas mesmo, de nasceça e estudo) têm métodos argumentativos e cálculos bastante precisos para satisfazer essa questão. Em 1985, entretanto, foi apresentada a vários físicos uma revolução completa na Física, quanto aos conceitos inerentes a como o ESPAÇO é e o seu “modus operandi”; foi nomeada de LÓGICA ESPACIAL, composta por 5 tomos. E o mais rudimentar começava mesmo pelo Vácuo e menções puntuais,ou, mensões (assim por tratar de uma unidimensionalidade — nada a ver com misticismos, e sim, com direções com que se pode situar, isolar, localizar um ponto específico no âmbito espacial). Nesse estudo categorizava-se as importâncias espaciais com definições bastante precisas e satisfatórias ao saber experimental-lógico-teórico. Contudo havia algo ainda em aberto: Existiria mesmo o vácuo absoluto na prática ou seria uma constatação teórica? Colocado devidamente como ausência de qualquer mensão punctual, compondo o arcabouço do ESPAÇO com os pontos-espaço-não-mistos-existenciais, ficava-se ainda a se saber se as influências indutivas desses pontos entre si não davam chance de se verificar um dia um setor sem as linhas abstratas dessas influências (que são as nossas conhecidas ondas). Isso era uma das progressões do estudo do Pensador Haddammann. Então, já agorinha, de 2010 pra cá, Haddammann desenvolveu um procedimento extraordinário de visualizar imagens utilizado recursos telescópicos-microscópicos e a eficiência dos conceitos constantes no estudo da Lógica Espacial. Batata! Conseguiu detectar (melhor, vislumbrar, melhor ainda, constatar) numa região de entrada ou, conexão de acesso a átomos, — que nomeou poeticamente de Coração Nuclear da Natureza — um vácuo absoluto, onde em instância verificativa alguma se constatou linhas de ondas ou expressões puntuais nenhumas (nem sequer fótons, ou ciscos de calibradores energéticos).
    Breve essas imagens vão estar em pavilhões expositores de Ciência e Arte; por enquanto extasiem-se com este brinde:

    https://sites.google.com/site/escoladepensadoresgleamersteam/o-universo-dentro-de-um-atomo-galeria-de-imagens-deam-klyss
    Se não entrar, peguem por essa via:
    http://clubenatureza-gleam.blogspot.com/2011/09/lancado-o-site-escola-de-pensadores.html

  48. Este comentário foi prestado aqui por consideração ao Barros que sempre perguntou sobre o Pensador Haddamman, mas é um texto para o University Primer XXI,da Shere W; e demais locações em espaços que umas turmas aí, como a do Clube Natureza Gleam, têm e postam. Agradeço o que faz pelas pessoas e pela Ciência.. Cordialmente; Sinn-Klyss.

  49. Eu poderia acabar com esse mito dos ateus de que deus não existe. Mas a questão é que eu não sou um religioso apesar de já ter sido, e por isso eu não quero tornar ninguém meu seguidor, e que cada um tenha o seu livre arbítrio de escolha. Tenho a minha fé em deus desde pequeno. O que ocorreu comigo a algum tempo era esse incomodo dos ateus em afirmar algo que não provava, mais a questão ai é que tanto eles que não crer como os que crer, fica sem a alternativa de acabar com esse mito. Quem crer, não pode provar a quem não crer, e quem não crer, não pode provar a quem crer. Então eu resolvi analisar pra ver se a ciência possuía algo que pudesse acabar com esse mito, Nas pesquisas eu não encontrei nada que comprovasse a não existência de Deus, pelo contrário eu acabei encontrando uma prova que serve de modelo para os ateus crer na existência de um ser imaginário. A ciência já possui esse modelo desde 1957, e usa até hoje esse projeto que é um modelo do original, no caso uma cópia. Ela seria ideal para se ter essa comprovação para alguns, Mas como os ateus não acredita num ser imaginário, a falta da imaginação, fica sendo o obstáculo para se entender essa lógica. O satélite artificial é a cópia e o satélite natural é o modelo. Quem for menos alienado a ciência, e conseguir fazer a comparação através da imaginação, terá esse mito quebrado. Eu poderia fazer eu mesmo essa comparação passo a passo, mas daria no mesmo, alguns iam mudar essa crença e outras não, dependendo do grau da imaginação na comparação. Assim como existe um grau pra se crer em deus, assim também existe um grau pra se crer na ciência. A outra prova que seria talvez o fim da crença dos ateus por completo, está na descoberta da gravidade, essa colocaria talvez, um fim na crença de todos os ateus, porque entraria nessa questão, uma ação imaginária, justamente o que os ateus não crer. Mas essa explicação seria mais complicado e mas trabalhoso para juntar o quebra cabeça. Mais eu deixo uma limitada explicação sobre isso. Dois corpos se atraem, através da imaginação. Não existe outra lógica para essa atração a não ser através da imaginação, já que ela é invisível. Como eu não estou aqui pra mudar a crença de ninguém. Cada um tem o seu livre arbítrio para crer. Eu só entrei nessa discussão devido a ideologia dos ateus. Porque eu imaginava que a ciência possuía algo que provasse o contrário, mas como não existe contra mais a favor como as que eu citei, então fica essa dica livre pra quem quiser fazer a comparação.

  50. Uma coisa realmente é verdade,sua imaginação é enorme.Éssa é batida,mais o ônus da prova é de quem cre amigão.

  51. O fato é que a maioria das pessoas, seja ateu ou cristão, não está a procura da ‘verdadeira’ verdade, mas sim do q consideram mais CONVENIENTE PARA SUAS VIDAS, por isso raramente o ateu procura AVALIAR COM O CORAÇÃO ABERTO os argumentos cristãos e os cristãos vice-versa. Geralmente o ateu não se debruça sobre a doutrina cristã pq inconscientemente teme descobrir evidencias q Deus realmente existe e aí ele se veria forçado a adotar um estilo de vida q não gosta. Já o cristão tem medo de perder a fé e depois ser condenado ao abismo. Mas uma pessoa VERDADEIRAMENTE INTELIGENTE E CORAJOSA vai a procura da ‘verdadeira’ verdade seja ela qual for, pq se Deus existe temos q nos dobrar a ele, agora se não existe, cada um decide como acha melhor viver

  52. A verdade verdadeira é que não há nenhuma verdade absoluta.

  53. Exato Quetzalcoatl,e no fim das contas parafraseando o Criaturo 2,”cada um decide como acha melhor viver”.

  54. Sr. Quéalcoolati
    voce esta convidado a participar de dois foruns:
    http://clubecetico.org/forum/index.php
    e
    http://religiaoeveneno.org/categories/rv

    sds

  55. O Criaturo 1 criou outro apelçido pro Quetzalcoatl kkk criei um tbem : Quéchocolati kkkkk

  56. Os dois Criaturos, favor respeitar o meu santo nome!

    Criaturo original:
    Thanks pela dica dos fóruns!
    Talvez eu dê uma passadinha por eles para destilar a minha sabedoria divina!!!!!

    Fiquem com Zeus!

  57. Que Zeus, o que, como dizem na Universal; tá amarrado isso aí kkkk

  58. Criaturinha dois, vá brincando com Zeus, vá! Seu herege! Ele pode mandar-lhe um raio na careca e você vai pros domínios de Loki para sofrer eternamente!

    Fique na paz de Zeus!!!!

  59. as religiões ja mandaram muito nego é para os sanatórios isto sim!

  60. Sábias palavras do nobre xará kkkk é como eu sempre digo pra minha irmã, SERIEDADE SIM com a Palavra, FANATISMO NÃO. Mtas vezes ela ficava angustiada da vida pq não estava conseguindo seguir a risca a bíblia, aí eu precisava explicar pra ela q até mesmo Pedro e Davi, santos q foram pecaram. Hj ela parece q amadureceu um poko, mas antes ela implicava até qd eu ligava o rádio de manhã, pra tomar minha dose de Jovem Pan …

  61. Não resisti :V … Duvido os neos assistirem até o fim :D …

  62. Logicamente, e elementar, dificilmente e não digo só dos textos que se referem a religião, mas de todos, dificilmente se encontra textos com tanta clareza e bom uso de palavras como os escritos neste blog , são maravilhosos. Estou a duas noites sem dormir ,os lendo, apreciando e rindo; principalmente o texto ‘Praga divina’ hilária .quem dera que eu tivesse o talento de descrever minha ira em relação a ignorância ,e principalmente a calma de debater com crente . Uma casa seis pessoas 4 crentes um católico, somando o qi de todos quase alcança dois dígitos, só eu, único ateu , e até onde conheço, o único da cidade felizmente posso dialogar com vocês .obrigado por abrir este local de diálogo.

  63. Desculpe errei feio, foi o sono, eu quiz me referir à divina tragédia quando escrevi “praga divina” . (Duas noites em claro)

Deixe um comentário:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s